Dicas Para A Construção De Uma EAP (Estrutura Analítica Do Projeto)

Nesse artigo, buscamos apresentar em uma linguagem simples e com exemplos ilustrativos, as principais dicas para a utilização bem sucedida de uma EAP (Estrutura Analítica do Projeto).

A EAP (Estrutura Analítica do Projeto) é uma poderosa ferramenta para facilitar o entendimento do Projeto por parte da própria Equipe de Gerenciamento, bem como na comunicação com todos os demais participantes e interessados no Projeto. Ela é definida pelo PMI® como “uma decomposição hierárquica orientada às entregas do trabalho a ser executado pela equipe para atingir os objetivos do projeto e criar as entregas requisitadas, sendo que cada nível descendente da EAP representa uma definição gradualmente mais detalhada da definição do trabalho do Projeto.“ (PMBOK® Quarta Edição, pg. 116).

exemplo-eap

A EAP é criada como parte dos processos de Planejamento, e é parte integrante da definição do escopo do projeto, seguindo os processos de coleta de requisitos e definição do escopo, conforme podemos ver na figura abaixo:

gerenciamento-escopo-projeto1

Esses são alguns dos mais importantes processos do Gerenciamento de Projetos, pois o entendimento correto do escopo é utilizado em praticamente todos os demais processos: o cronograma traduz as atividades com base no escopo definido, os custos são diretamente relacionados às entregas do projeto, e assim por diante. Uma má definição aqui compromete todo o gerenciamento e o contrário também é verdade: um escopo bem definido é uma das chaves fundamentais para um projeto bem sucedido.

Ok, mas que dicas podem ser seguidas para a boa elaboração de uma EAP ?

Diversas abordagens existem, mas destacamos dois grupos de diretrizes ou guidelines para as quais gostaríamos de chamar a atenção:

a) Diretrizes Gerais

São dicas para a elaboração de um EAP em todos os seus níveis, conforme detalhamos abaixo:

  • Visualize os produtos/serviços finais a serem desenvolvidos pelo projeto, não as atividades envolvidas;
  • Pense inicialmente nas grandes entregas (primeiro nível da EAP), abstraindo-se um pouco dos elementos que os compõem;
  • Decomponha gradativamente essas entregas nos seus elementos, mantendo a diretriz inicial (produtos/serviços, não atividades);
  • Pergunte-se, a cada nível, se os elementos descrevem tudo (completude) e somente (manter o foco) o que o projeto deverá entregar;
  • Utilize substantivos (não verbos !);
  • Não decomponha demais (3 ou 4 níveis devem ser suficientes para a grande maioria dos projetos);
  • Denomine os elementos de forma simples (evitar frases na EAP – deixe detalhes para o Dicionário da EAP);
  • Valide com a equipe !

b) Diretrizes para a Decomposição

  • Englobam as dicas para assegurarmos que a decomposição corresponde ao nível adequado, que é atingido quando respondemos sim a essas questões:
  • Cada Pacote de Trabalho (último nível da EAP) pode ser estimado com razoável nível de precisão (tempo e custo)?
  • Há apenas um responsável pelo Pacote de Trabalho ? (Atentar que responsável não é o mesmo que executor)
  • Há somente uma entrega associada ao Pacote de trabalho?
  • Essa entrega pode ser validada por um único processo de validação ?

Uma resposta negativa é um forte indicativo da necessidade de maior decomposição.

Esperamos que as dicas aqui colocadas sejam úteis para vocês e que tornem ainda mais empolgantes os seus projetos. Boa EAP para vocês !

2 Correspondente

  1. Fabíola
    O texto está bom, mas essa fonte tá numa cor quase invisível. Tá difícil ler.
    • Marcos Diniz
      Pronto, melhoramos.

Deixe um Comentário